5 plataformas para sites: conheça suas vantagens e desvantagens

Desenvolvimento | Por Felipe Elia em 07/12/2016
5 plataformas para sites: conheça suas vantagens e desvantagens

Marcar presença no ambiente digital já é uma necessidade indiscutível. Afinal, a internet traz grandes oportunidades de negócios para qualquer empresa, seja no relacionamento com o cliente ou na interação com outras marcas. Por isso, o papel das plataformas para sites é muito importante na hora de criar a sua página. Mas qual é a melhor opção?

Como escolher alguma das plataformas para sites disponíveis?

Existem diversas soluções para as mais diferentes demandas.

Para escolher a melhor, você deve entender o que a sua empresa necessita. Pesquise qual das opções é a mais adequada para atender essas necessidades, evitando gastos ou complicações.Contar com o auxílio de profissionais é sempre uma vantagem nessa etapa, mas com alguma pesquisa também é possível fazer isso sozinho.

Quer se preparar para acertar na escolha? Confira agora as vantagens e desvantagens das 5 principais plataformas para sites!

1. WordPress

Utilizada em cerca de 27% dos sites do mundo, o WordPress é uma das plataformas mais populares do mercado. Ela conta com milhões de usuários, possui uma interface fácil de navegar e diversos recursos. Um diferencial do WordPress é sua comunidade ativa, que esclarece dúvidas e melhora o uso da ferramenta constantemente.

Altamente personalizável, o WordPress conta com recursos que possibilitam produzir desde sites simples até complexos sistemas de e-commerce.

Ele também é compatível com milhares de plug-ins — a maioria gratuito —, atualizados pela própria comunidade. Tais aplicações permitem estender suas funcionalidades e funções.Outra vantagem do WordPress é a presença de poderosos recursos com foco em melhorar o SEO do site. Esta característica é atualmente tão importante quanto planejar um conteúdo e publicá-lo.

Por conta de sua grande base de usuários, empresas do porte de PagSeguro UOL, CIELO e até alguns bancos disponibilizam plug-ins específicos para esta plataforma, facilitando a implantação de sistemas de pagamento para sites de e-commerce. A propósito, quando falamos de e-commerce em WordPress, não podemos deixar de citar o WooCommerce, uma das mais completas aplicações para lojas virtuais que existe nesta plataforma.

Para publicar no seu site, porém, você precisará contratar uma hospedagem e um domínio.Também é importante atentar-se a configuração PHP na hospedagem e a criação de um banco de dados MySQL.

Apesar de serem configurações simples, é preciso algum conhecimento técnico para fazê-las funcionar corretamente e resolver eventuais problemas.

2. Wix

Pelo seu baixo custo, o Wix tem se tornado uma opção cada vez mais popular. Seu design intuitivo permite que pessoas leigas em programação criem sites simples sem maiores problemas. Além disso, a plataforma conta com um suporte exclusivo.

Entretanto, o Wix não possui variedade de templates e recursos como outras plataformas, limitando bastante as possibilidades do seu site. Outro problema é que um site criado por pessoas leigas, via de regra, peca em quesitos importantes para o público, como usabilidade e design.

Um dos maiores pontos negativos do Wix em relação às outras opções é que o código do site fica muito sujo, o que dificulta a sua indexação por mecanismos de busca, pois compromete severamente aspectos de SEO.

Além disso, a maioria dos plug-ins são pagos ou possuem grandes limitações de uso, ocasionando um custo maior na produção do site se o usuário estiver buscando mais dinâmica e profissionalismo para seu produto. Os planos premium oferecidos pela plataforma possuem valores atraentes, mas não se diferenciam muito dos valores praticados por outras hospedagens.

O Wix oferece ainda um plano gratuito para a criação de site, mas esse é extremamente limitado e possível de utilizar somente com os domínios wix.com, o que não transmite muito profissionalismo e dificulta a memorização do endereço por parte dos usuários.

3. Joomla

Joomla é uma ferramenta que também não exige grandes conhecimentos para edição e conta com bons recursos. Nessa plataforma de sites, também há uma comunidade que auxilia na resolução de problemas.

Para criar seu site, será necessário investir um pouco mais de tempo no aprendizado do funcionamento do Joomla. Diferentemente do WordPress, ele não possui um gerenciamento automático de URLs amigáveis. Para que o sistema funcione de acordo com o esperado, é preciso instalar algumas extensões.

Mais indicado para sites de comércio virtual, institucionais e portais, o Joomla possui certa limitação na quantidade de recursos específicos, por isso não tem a mesma popularidade de outras plataformas.

Um exemplo dessas limitações é a impossibilidade de um conteúdo pertencer a mais de uma categoria, o que, muitas vezes, demanda a duplicidade de conteúdo e ocupa mais espaço da hospedagem.

Assim como em outras plataformas, o SEO pode ser configurado de maneira simplificada por meio da utilização de plug-ins.

4. Webnode

Sem exigir muito conhecimento específico, o Webnode pode ser uma boa escolha, apesar de apresentar limitações em seu editor e na customização. Você conseguirá construir sua página utilizando os modelos de templates disponibilizados, mas não espere nada muito inovador. Ele conta com um plano gratuito, com limitação de recursos e o mais importante: sem propagandas da plataforma.

Já os planos pagos oferecem mais possibilidades: quanto mais caro, naturalmente, mais opções para edição estarão disponíveis. Ainda assim, os planos premium do Webnode são bastante acessíveis, apresentando-se como uma das opções mais em conta.

5. Drupal

Talvez seja, entre  as plataformas para sites da lista, a mais complexa. É poderosa, permitindo alterações e personalizações diversas, mas exige muito mais conhecimento técnico do que as outras para ser editada. Sem noções de PHP e HTML, por exemplo, será bem difícil aproveitar todas as funcionalidades.

Além da possibilidade de trabalhar com bancos de dados em MySQL, o Drupal também trabalha com o PostgreSQL, que é um banco de dados com altíssima capacidade de processamento e armazenamento.

Assim como no WordPress e no Joomla!, esta plataforma também possui uma grande quantidade de módulos para auxiliar na personalização de várias funções de seu site, sendo a maior parte deles gratuito.

Drupal também possui uma comunidade ativa, mas que não tem o mesmo tamanho da do WordPress, por exemplo. Além disso, existem outras plataformas para sites que são menos complexas e podem atender a qualquer necessidade que você tenha.

Como você viu, cada uma dessas plataformas possui suas vantagens para determinados tipos de negócio. Analisando as demandas de sua empresa, será mais fácil escolher a opção correta!

Lembre-se que, independentemente de sua escolha, você deverá contar com o apoio de um profissional devidamente capacitado!

Caso esteja procurando plataforma específica para e-commerce, acesse nosso post sobre a Loja Integrada.

Gostou do texto e quer continuar acompanhando outras novidades sobre o universo digital? Assine nossa newsletter e fique por dentro de todos os conteúdos!